Enfim, no vestiário feminino e o final do “compêndio” !!!,-)

NO VESTIÁRIO MASCULINO

A verdade é que é no vestiário masculino que a maioria dos

homens se preocupa com o tamanho de seu pênis- não na

cama. Por esta razão, vale a pena lembrar que há mais variação

de tamanho nos pênis flácidos do que nos eretos. Os pênis que

parecem pequenos no vestiário se estendem mais na cama do

que aqueles que parecem ser os maiores do vestiário. Também,

dependendo do ângulo que se vê o pênis, ele pode parecer

menor para você do que para qualquer outra pessoa- uma

piada sem graça que, certamente, irá provocar complexos de

inferioridade. Tente olhar para baixo e então coloque um

espelho em frente ao pênis. Surpresa! Você ganhou, mais ou

menos, uns 2 a 4 cm. Muitos homens têm uma percepção

exagerada quando se trata do tamanho do pênis de outros

homens, em parte devido ao ângulo de observação, ou porque

desconhecem a realidade dos fatos. O urologista Claudio

Teloken- que injetou um medicamento em 150 homens que

provoca a ereção e, a partir desse procedimento, media os pênis

do osso púbico até a pontá da glande- constatou que a “média”

de um pênis ereto é de 13 cm de comprimento. Ao contrário da

crença popular, nem a raça e nem o tipo do corpo faz qualquer

diferença, e o tamanho do pênis não tem nada a ver com a

sensibilidade sexual.

Se você ainda está preocupado com o tamanho de seu

pênis, há um antigo exercício taoísta para alongar seu pênis que,

certamente, vale a pena tentar antes de você recorrer à dispen-

diosa e perigosa cirurgia. Há uma pequena confirmação científica

sobre a margem de sucesso desse exercício para aumentar o

pênis, mas Alan e Donna Brauer dizem que 110 homens, que se

submeteram a seu extenso programa de intensificação sexual,

deram seu parecer dizendo que havia um crescimento constante

em seus pênis, de 0,5 cm a 2,5 cm.5 É claro que a falta de uso

pode provocar o encolhimento do pênis- literalmente, se

retraem para o corpo-, isso confirma que o freqüente uso deve

causar um pequeno alongamento.

Com certeza, você já notou um encolhimento após nadar

em água fria. A razão para isso acontecer, é que o pênis se retrai

para dentro de seu corpo, aproximadamente de 4 cm a 8 cm.

Esses centímetros são seguros pelo ligamento de sustentação,

local onde os cirurgiões cortam para fazer a operação para

alongar o pênis. É provável que freqüentes ereções junto com a

atividade sexual façam com que haja um alongamento nesse

ligamento, permitindo que a parte escondida do pênis se mova

um pouco para fora do corpo.

O exercício já testado Aumentando o Seu Pênis fìcou

conhecido por alongar o pênis cerca de 2 cm dentro de um ou

dois meses, mas isso irá depender da estrutura de seu corpo, de

sua saúde e de sua idade. É provável que o exercício funcione

melhor com os homens mais jovens, que ainda têm um corpo

bastante flexível. Uma fraca circulação pode prejudicar o exercí-

cio. Você pode determinar se houve algum progresso medindo

o seu pênis ereto antes de começar ou de acabar a duração do

seu exercício. (Certifique-se de medir a partir do osso púbico

para a ponta do pênis e que a sua ereção esteja a 90o de seu

corpo.) Não somente interessa o quanto de sucesso você obteve

em alongar o seu pênis, pois esse exercício também massageia

e energiza todo o sistema urológico, incluindo a glândula da

próstata.

NA CAMA

Se você está mais preocupado com a cama do que com o

vestiário masculino, há algo que você pode fazer com sua parceira

que é muito mais gratificante do que se submeter a uma cirurgia

no pênis ou mesmo fazer os exercícios para alongar o pênis:

Excite a sua companheira até o máximo antes de penetrá-la. Se

a vagina dela já estiver bem intumescida, vai parecer que o pênis

é mais largo que a vagina. Como mencionamos anteriormente,

as mulheres têm mais sensibilidade no clitóris e nos primeiros

centímetros da entrada da vagina, o que significa que mesmo o

homem com um pênis pequeno alcança esses pontos sensíveis.

As posições apropriadas, que descrevemos no Capítulo 5, tam-

bém ajudam a qualquer casal a ajustar as suas diferenças no que

diz respeito ao tamanho.

Na verdade, alguns casais têm o problema ao inverso: o

pênis do homem é muito grande para sua parceira. Apesar da

vagina da mulher dilatar consideravelmente, esse desequilíbrio

pode ser doloroso se os parceiros não estão combinando. Uma

solução é amarrar um lenço ou um cadarço em volta da base do

pênis até a profundidade desejada. Isso também tem o benefício

adicional de estender a cabeça do pênis, o que proporciona um

maior prazer a ambos os parceiros. Já que você tem de diminuir

o tamanho de seu pênis, a cada vinte minutos, para que o sangue

circule e fique estagnado, retire o lenço ou qualquer outro tipo

de fita de seu pênis. A posição onde a mulher fica por cima facilita

o controle da profundidade e a penetração não se torna dolorosa.

Vale a pena repetir que se você pratica o Sexo Kung Fu, o

prazer sexual de ambos será tão satisfeito gue a preocupação com

o tamanho de seu pênis passará a ser uma vaga lembranÇa. Você

verá o quanto insignificante é o tamanho de suas orelhas, sejam

elas grandes ou pequenas, e o quanto essa preocupação conso-

me energia mental. Nas palavras da sábia e experiente Su Nü:

“Quando dois corações estão em harmonia e a energia flui

livremente através de todo o corpo, o curto e o pequeno se

tornam mais comprido e longo, o flácido e o fraco naturalmente

em firme e duro.”

De quantos Espermatozóides o Homem Precisa?

Aumentando sua contagem de Espermatozóides

De acordo com a pesquisa do endocrinologista dinamarquês

Niels Skakkebaek, a contagem de espermatozóides dos homens,

nos Estados Unidos e em outros vinte países, tem caído vertigi-

nosamente nos últimos 50 anos- cerca de 50%. A causa para

esse enorme declínio está ainda em debate e os prováveis

culpados desses níveis vão da cueca apertada aos poluentes

químicos. Com relação aos perigos do meio-ambiente que pare-

cem, finalmente, ter sua quota de responsabilidade, o pesquisa-

dor Louis Guillette, da Universidade da Flórida, falou para um

grupQ do Congresso para Homens dos Estados Unidos: “Todo

homem nesta sala é metade do homem que seu avô foi.”•

A baixa contagem de espermatozóides é o maior motivo

para que os casais tenham dificuldades para conceber uma

criança. Devido a essa diminuição, não chega a ser uma surpresa

que o problema da infertilidade também tenha aumentado.A

Organização Mundial de Saúde informa que um entre dez casais

é infértil. Nos Estados Unidos- um entre seis casais é infértil-

essa média dobrou em dez anos. Seria bom dizer que a inferti-

lidade é um diagnóstico vago, não muito preciso, que, como a

impotência, tem a tendência de se tornar estigmatizado. Mais um

detalhe, esse diagnóstico de infertilidade é feito depois de

determinado tempo (geralmente um ano de relação sem cuidados

anticoncepcionais) sem que ocorra a concepção. Segundo um

texto de um livro sobre medicina: “A gravidez é a única prova

irrefutável da capacidade de o espermatozóide fertilizar.” Você é

considerado infértil até se tornar pai. Culpado, até que se prove

o contrário! Então, mesmo que você tenha uma baixa contagem

de espermatozóides, ainda é capaz de ser pai.

Problemas com a ovulação também são motivos da infeni-

lidade, pois não importa a quantidade de espermatozóides que

você tenha se não há óvulo para fertilizar. Contudo, se houver

um óvulo que seja, quanto mais espermatozóides você tiver,

melhores são as chances de sua parceira ficar grávida, apesar de

apenas um único espermatozóide conseguir chegar até o óvulo.

Na verdade, todos os espermatozóides correm juntos através do

útero e das trompas de Falópio, com a finalidade da fertilização.

Se você tem uma baixa contagem de espermatozóides,

ficará satisfeito em saber que há exercícios no Sexo Kung Fu que

favorecem o aumento dessa contagem. A coisa mais importante a

fazer, para aumentar o volume, a concentração e a contagem de

espermatozóides, é empregar o sexo não-ejaculatório. Segundo uma

pesquisa médica do Ocidente, a cada dia que você não ejacula,

a contagem de espermatozóides sobe de 50 para 90 milhões.

Além disso, para aumentar seu estoque de espermatozóides,

você pode colaborar, para esta produção, balançando, massagean-

do e cutucando os seus testículos. Quando os testículos têm a

oportunidade de ficar balançando livremente (antes de entrarem

em cuecas e calças apertadas), eles naturalmente se esfregam contra

as coxas. Mas, agora que os homens ficam sentados a maior parte

do dia, sem muito tempo para correr numa selva completamente

nus, precisam, então, ser ajudados. Coloque uma calça folgada

no gancho, fique de pé e balance os seus testículos para cima e

para baixo. Depois, mexa a sua região lombar e o sacro para a

esquerda e para a direita, para frente e para trás (isso ajudará a

levar o sangue para a área genital). O exercício de Massagem dos

Testículos, descrito anteriormente nesse capítulo, é muito eficaz-

especialmente o passo 4, que fala de cutucar os seus testículos.

Minha o Quê? Prevenindo e Resolvendo

os Problemas da Próstata

Muitos homens só ouviram falar sobre a glândula da próstata

quando diagnosticados com um problema na mesma, tal como

uma infecção, um aumento ou um câncer. Quase um, entre dez

homens, é, eventualmente, diagnosticado com câncer na prós-

tata. Hoje em dia, isso é tão comum que passou a ser uma

enfermidade que os médicos afirmam: se um homem viver muito,

ele irá desenvolvê-la. Segundo os taoístas, essa doença é inevi-

tável, mas o Sexo Kung Fu pode ajudá-lo a manter a sua próstata

saudável.

Os dois exercícios descritos no Capítulo 3- Interrompen-

do o Fluxo da Urina e Contrações do Músculo PC- fortalecem

o músculo PC, aquele que circuda sua próstata. Contrair esse

músculo mantém a próstata saudável. Como mencionamos no

Capítulo 3, a região púbica (pubococcígeo) é, na verdade, um

grupo de músculos que se estende entre o osso púbico (“pubo”)

e o cóccix (“coccígeo”). Procure apertar esse músculo leve-

mente, pois se o apertar com muita força, poderá ficar muito

tenso e, assim, prejudicar a respiração apropriada. É aconse-

lhável fazer os exercícios para a próstata todos os dias, ou

quantas vezes quiser. Lembre-se de que, em qualquer exercí-

cio, se você praticar demais, pode ocorrer uma dor inicial.

Segundo o taoísmo, sua próstata está relacionada com o hipotá-

lamo, então, ao pressioná-la, poderá ter algum tipo de sensação

no seu cérebro.

Além de exercitar a próstata, você também pode massageá-

la, o que os médicos fazem quando você tem uma infecção nesta

região. A massagem do médico se faz através do ânus, o que

você também pode fazer, assim como explicamos no Capítulo 2.

Essa massagem pode ser feita pressionando o Ponto Rafe ou

fazendo pequenos círculos, primeiro em uma direção e depois

na outra (veja o exercício Massagem Pélvica no Capítulo 3). Usar

o Desvio Total quando estiver se masturbando ou fazendo amor

também ajuda a manter a próstata saudável. Se você tem proble-

mas na próstata, quando ejacular, procure empregar a técnica do

Dedo-Chave.

Um homem multi-orgasmático, e que tinha dores na prós-

tata, falou de sua experiência antes e depois de começar a praticar

o Sexo Kung Fu: “Eu costumava ter dores fortes na minha próstata

ainda quando era adolescente. Muitas vezes por mês, eu sentia

uma terrível dor aguda nessa região que se estendia por muitos

minutos. Um vez a dor foi tão forte que um amigo meu observou

que o meu rosto estava ficando verde. Os médicos aconselharam

que eu ejaculasse com mais freqüência, a fim de aliviar a pressão

da próstata. Isso ajudou de alguma forma, mas eu sempre soube

que liberar todo aquele sêmen era um enorme desperdício de

energia. Somente quando cheguei aos 30 anos é que fui descobrir

o Sexo Kung Fu. Durante toda essa época, depois de muitas

semanas de prática das contrações do músculo PC, das mas-

sagens da próstata e dos testículos, do Grande Desvio, do

Dedo-Chave, é que os problemas da próstata foram desaparecer.

Logo no início, quando eu parei de ejacular, a minha próstata

tinha aumentado, mas ela foi diminuindo gradualmente e agora,

depois de anos, não tenho mais dores na próstata. Para esse

grande número de homens que sofrem com problemas na

próstata, essas técnicas são quase como um milagre, se elas

funcionarem para eles como aconteceu comigo.”

EXERCÍCIO 17

Evitando Problemas na Próstata

1. Ao mesmo tempo que expirar todo o ar, contraia,

levemente, o períneo e o ânus.

2.Inspire, e então, à medida que expirar, pense na sua

próstata, que está acima do períneo, e contraia o mús-

culo PC em volta da próstata.

3. Inspire e relaxe.

4.Repita esse exercício de nove a dezoito vezes.

Sexo Não É como Pizza: A Cura

do Trauma Sexual

O ex-técnico, Yogi Berra, dos Yankees faz a seguinte gozação:

“Sexo é como pizza. Quando está boa, ela é realmente boa. E

quando está ruim, ela ainda é muito boa.” Infelizmente, ou

felizmente, o sexo não é como pizza, como muitos homens que

tiveram experiências sexuais negativas podem testemunhar. Uma

experiência de sexo ruim pode demorar nas nossas libidos e,

cruelmente, retornar em momentos de intimidade, anos depois.

Às vezes, o sexo consensual acaba sendo prejudicial, porém

o sexo coercivo quase sempre o é. Conforme constatado nos

últimos anos, tem havido um grande aumento de casos de abuso,

moléstia e violência sexuais. A divulgação desses temas tabus

seria um avanço social extremamente importante, porém ainda

existe muito trauma. É compreensível que as chocantes (e

incontestáveis) estatísticas sobre o predomínio dessas mazelas

sociais resultem em um desejo maior para definir exatamente o

que é o sexo consensual. A atenção da mídia é sempre voltada

para o abuso sexual às mulheres, embora os homens também

sejam vítimas do sexo exploratório.

O consentimento (ou a falta dele) é, às vezes, claro e outras

não, principalmente quando os parceiros sexuais não têm a

mesma idade, força, experiência, potência e assim por diante. No

que diz respeito à comunicação dos interesses sexuais, é melhor

ser o mais explícito possível do que se ater em sinais silenciosos.

Felizmente, à medida que as mulheres descobrem que são tão

sexuais quanto os homens, estão sendo evitadas as mensagens

confusas e prejudiciais deixadas pelas gerações anteriores. Final-

mente; “Não”, significa Não. e “Sim’ sinifica Sim.

Se você já fez ou o sexo coercivo ou o consensual, que foi

ruim, talvez tenha ficado com cicatrizes que provocam os pro-

blemas emocionais e sexuais. Se este é o caso, provavelmente

você deve procurar por uma terapia ou por um conselheiro

sexual (sexólogo). Contudo, há algo que você pode fazer por si

mesmo, procurando se concentrar mais no prazer do presente

do que na dor do passado.

Ficar presente de corpo e alma é um desafio para qualquer

indivíduo que passou por um trauma sexual. Prestar atenção às

sensações do corpo, sejam positivas ou negativas, é muito melhor

do que permitir que seu pensamento vagueie ou “tome conta”

de seu corpo, transformando-o em observador em vez de partici-

pante. Os exercícios, Respiração pela Barriga e Contando de 1 a

100, descritos no Capítulo 3, ajudarão você a aumentar a sua

concentração e a sua habilidade de ficar concentrado. O som,

seja ele em forma de mantras ou gemidos, sempre limpam a

mente dos pensamentos que possam distraí-lo. Um reforço

positivo sempre ajuda a mantê-lo presente. Lembre-se, o tanto

quanto for necessário, de onde está, com quem está e como se

sente. Quando aqueles velhos sentimentos surgirem, é melhor

parar o que está fazendo e conversar com sua parceira sobre o

que está acontecendo.

EXERCÍCIO 18

Como Fazer a Meditação

1. Sentem-se, um de frente para o outro, com as pernas cruzadas ou sobre os joelhos. A iluminação deve estar bem suave, de preferência à luz de velas.

2.Comecem a tocar seus corpos, da cabeça aos pés. (Evite qualquer parte de seu corpo que você não quer que seja tocada por sua parceira, como os genitais, ou deixe-os por último.)

3.As mãos de sua parceira devem seguir as suas, tocando

cada lugar que você tocar.

4.Troque e siga as mãos dela.

5. Abracem-se e sintam as suas respirações.

Se você não se sente bem em falar sobre os seus traumas sexuais

com sua parceira, principalmente se ela ainda é desconhecida

para você, tente dizer o que quer fazer no momento. Se ela estiver

fazendo algo que lhe incomoda ou que você não se sinta bem,

fale, mas comentando, o que gostaria que ela fizesse e não

criticando o que ela está fazendo. Se você não está se sentindo

sexual, sugira que vocês se abracem, se massageiem ou meditem

um com o outro, olhando sempre dentro dos olhos de cada um.

Você também pode pedir para fazer o exercício acima- Como

Fazer a Meditação. É sempre bom restabelecer uma intimidade

que tenha sido prejudicada de alguma forma.

Com esse exercício de meditação, você reconecta seu cor o

e divide com a sua parceira as partes do seu corpo que se sente

bem em compartilhar. Provavelmente, você terá uma reação

positiva de sua parceira, avançando aos poucos e desenvolvendo

uma intimidade maior, antes de ser totalmente sexual. Se a sua

mente e seu corpo não estiverem presentes, você não terá energia

sexual o suficiente para dividir com sua parceira. Nem você nem

ela se beneficiarão de sua relação sexual, e o prazer será mínimo.

Avançando devagar e acariciando todo o corpo, você conseguirá

reunir toda a energia necessária e ter uma experiência tão

passional quanto significativa. Como já dissemos, os taoístas

reconheceram há muito tempo que o sexo tem um grande poder

de cura, ou de injúria, então use esse poder sábia e amorosamente.

CAPÍTULO NOVE

FAZENDO AMOR POR TODA A VIDA

NO TAOÍSMO, NOSSOS CORPOS são considera-

dos como os microcosmos do mundo terreno, por isso devemos

entender a nós mesmos e a nossa sexualidade como a mudança

das estações: primavera, verão, outono e inverno. Mas os mestres

taoístas eram capazes de mudar as estações mais de uma vez,

experimentando uma segunda primavera na velhice. Absorvidos

pela busca da imortalidade, eles encontraram no Sexo Kung Fu

a verdadeira fonte da juventude. Na verdade, todos os estudos

mais recentes mostram que uma vida sexual ativa é essencial para

neutralizar os efeitos do envelhecimento e para manter a saúde.

Agora iremos analisar como o sexo pode realmente ajudá-lo a

viver por mais tempo e o que especificamente você precisa saber

à medida que a sua sexualidade muda.

O Sexo e a Idade

Você nunca é tão jovem para ler sobre sexo e idade. No Ocidente,

pensamos na velhice como algo que só acontece muito tarde na

vida, mas o processo da velhice começa quando nascemos, e a

nossa sexualidade muda à medida que envelhecemos. Como

Kinsey coloca: “O sexagenário- ou octogenário- que de

repente começa a ficar interessado com os problemas da velhice

não percebe que está quase a uma existência além do ponto ao

qual ele deveria começar a se envolver nesse processo.”Quanto

mais cedo você ler esta seção, melhor será para você.

Segundo Tao, você também nunca está muito velho para ler

esse capítulo, o sexo é uma atividade para a vida toda e é possível

e desejável até o dia de sua morte. No Ocidente, os homens mais

idosos são considerados libidinosos- “o velho obsceno”. O

taoísmo nunca teve esse predicado; ao contrário, o sexo era visto

como a coisa mais importante tanto para a saúde como para a

longevidade de homens e mulheres idosos, ou o que agora

chamamos de terceira idade. Os chineses não estão sozinhos

nessa crença. Uma pesquisa de âmbito mundial mostra que o

sexo é vitalmente importante para os homens mais idosos em

70% dos povos e para as mulheres em 80%.

Uma outra pesquisa relatou o quanto diferentes são os

conceitos de sexualidade entre os idosos de acordo com o seu

estereótipo cultural: mais de 80% dos homens entrevistados que

eram casados e 75% dos solteiros, acima de 70 anos, permane-

ciam sexualmente ativos. Desses, 58% tinham sexo pelo menos

uma vez por semana, e 75% disseram que tinham “um alto

contentamento no sexo”, e 43% ainda se masturbavam.3 Não

pense que o apetite sexual de sua parceira diminuiu após a

menopausa. Muitas mulheres acham que o interesse pelo sexo,

na verdade, aumenta, talvez devido à mudança nos níveis

hormonais.

No Ocidente, exultamos a sexualidade do jovem adolescen-

te e o auge dessa potência sexual se dá quando ele alcança os

dezoito anos e começa a declinar muito tempo depois. Nas

palavras de um sexólogo: “O pênis de um adolescente é um pênis

em sua potência máxima. Mas a partir daí até o fim da vida há

um desgaste.” O problema vem de uma falta de conhecimento

sobre a potência sexual, principalmente no Ocidente. Em termos

de potência, é verdade que a capacidade do homem em produzir

esperma culmina no início de sua fase adulta, mas isso só é

importante se estivermos interessados apenas com a reprodução.

O auge da fertilidade e da possibilidade de uma mulher conceber

uma criança também se encontra no início de sua fase adulta.

Contudo, em termos de prazer em vez de potência, a

habilidade de um homem para satisfazer sua parceira e a ele

mesmo só se desenvolve à medida que obtém experiência e

autocontrole. O fato de um homem não conseguir uma ereção

imediatamente ou não ejacular tão longe, como fazia na adoles-

cência, constituem mudanças que comprometem bastante o seu

desempenho como amante. Os taoístas sabiam que um homem

sai da sua efervescente adolescência junto com a sua ejaculação

rápida, mas com a prática do Sexo Kung Fu o prazer de sua

parceira só aumenta.

A MUDANÇA QUE OCORRE NO SEU CORPO

Inevitavelmente, há inúmeras mudanças fisiológicas que

ocorrem à medida que você envelhece. Por exemplo, se você

tem mais de 50 anos, provavelmente, precisa de um estímulo

mais direto nos seus genitais para obter uma ereção: isso não

quer dizer que o seu apetite sexual ou atração pela sua parceira

desapareceram, mas simplesmente que a sua fisiologia mudou

com o decorrer do envelhecimento. Também, a sua ereção

provavelmente está menos firme e, em conseqüência, o ângulo

mais baixo do que quando você era mais jovem. Além disso

quando você ejacula, a força da sua ejaculação é menor, e você

leva mais tempo para se recuperar.

Essas mudanças na diminuição da potência e da estamina

não são diferentes de qualquer outra atividade física. Não espere

ser capaz de correr tão rápido ou tão longe aos 60 anos como

quando você tinha 20. Mas há uma diferença entre o sexo e os

esportes em relação à idade: sua habilidade na cama pode

realmente melhorar. Os homens mais idosos podem manter uma

ereção por mais tempo (mas será mais difícil reobter a ereção

caso você venha a perdê-la). Porém, se você não ejacular será

mais fácil se tornar multiorgasmático e satisfazer sua parceira. No

último estudo feito por Dunn e Trost, 50% dos homens se

tornaram multiorgasmáticos depois dos 35 anos. Outros entre os

45 e 55 anos. E aqueles mais velhos que aprenderam a ser

multi-orgasmáticos, acima de 60 anos, continuavam a ser mul-

ti-orgasmáticos e ficavam cada vez mais potentes.

A maioria das literaturas ocidentais sobre o sexo dá a

entender que a intensidade da experiência sexual diminui à

medida que o homem envelhece. Segundo Tao, esse não é o

caso. Os taoístas não medem a intensidade de acordo com o

número de contrações genitais, o que sempre diminui quando

você envelhece. Uma vez que eles reconhecem que a energia

sexual toma parte de tudo o que se relaciona com o amor, julgam

que essa intensidade do sexo na habilidade do homem para

desenvolver e circular essa energia só aumenta quando ele ganha

experiência. Sem dúvida, a sua sexualidade mudará com o

tempo, e talvez você sinta um pouco de saudade daquele “tesão”

da juventude, no entanto, os prazeres mais refinados da idade

madura são muito mais agradáveis.

SEU CORPO E O SEXO

Esperamos que você entenda agora que a sexualidade para

um homem idoso não é um caminho sem volta de um sexo

incompetente. Ainda você verá que é capaz de alcançar com

maior facilidade o clímax do prazer, se observar as necessidades

básicas de seu velho corpo. Um corpo saudável e exercício

regular são fundamentais. Um dos motivos para a vida sexual de

muitas pessoas esmorecer, à medida que elas envelhecem, é que

os seus corpos se tornam fracos ou ficam doentes. A sabedoria

do Oriente e todos os estudos fisiológicos feitos no Ocidente

concluíram que o exercício não só aumenta o desempenho e o

desejo sexuais como também os orgasmos. A grande musculatura

do abdômen, do quadril, das nádegas e das coxas é tão fun-

damental quanto o pequeno músculo PC, de que falamos

anteriormente. É muito importante manter essa musculatura forte,

a fim de preservar a vitalidade sexual. Embora nadar, correr e

outros esportes ocidentais sejam meios excelentes para conservar

a saúde física (a partir do momento que não haja exagero na sua

prática), o sexo freqüente também é importante, se não for mais.

Use-o ou perca-o descreve exatamente o envelhecimento do

corpo masculino.

Segundo Tao, uma grande quantidade de energia sexual

vaza pelo nosso ânus ou nádegas. Tente contrair suas nádegas

e você verá o quanto é forte essa musculatura para conter a

energia e mandá-la para a sua espinha. Os médicos taoístas

consideravam a força do esfíncter anal de uma pessoa como um

importante sinal de saúde. Esse esfíncter sendo frouxo e fraco é

um sinal de saúde precária; já o contrário, sendo apertado e forte

é sinal de boa saúde. Você pode fortalecer o seu ânus e suas

nádegas fazendo o próximo exercício. Além disso, esse exercício

não só ajudará você a aliviar o stress enquanto energiza a sua

próstata e as glândulas de Cowper, como também fará circular o

sangue e fortalecerá as suas ereções. É também conhecido como

um bom auxiliar na cura de hemorróidas.

EXERCÍCIO 19

Fortalecendo seu Ãnus

1. Expire totalmente pelo nariz e bombeie e contraia os

músculos do ânus e das nádegas por alguns segundos.

(Você estará apertando e relaxando toda essa muscula-

tura.)

2.Inspire lentamente e relaxe.

3.Repita os passos 1 e 2 nove, dezoito ou trinta e seis

vezes, ou até sua virilha e seu ânus começarem a

esquentar. Essa energia irá aos poucos se espalhando

até sua cabeça e seguir para o umbigo. Você também

pode desviá-la, através da mente, para o cóccix e para

a região do sacro, fazê-la subir pela espinha até a cabeça,

ao longo da brbita Microcósmica. Descanse e espirale

CONTINUAÇÃO

a energia na cabeça dezoito a trinta e seis vezes. Se você

sentir que há muita energia, lembre-se de tocar o palato

com a ponta da língua e permita que a energia desça

para o umbigo (veja o Capítulo 3 )·

A EJACULAÇÃO E A IDADE

Agora já está claro que o lugar por onde você perde a maior

arte de sua energia é pelo pênis, através da ejaculação. Para os

homens idosos, como dissemos no Capítulo 3, o sexo não-eja-

culatório é mais importante do que aquele em que cada ejacula-

ção faz com que o corpo fique mais exaurido. Como menciona-

mos antes, o médico chinês, e já ancião, Sun Ssu-miao, recomen-

dava que os homens aos 40 anos não ejaculassem mais que uma

vez durante dez dias, que os homens aos 50 não ejaculassem

mais que uma vez em vinte dias, e que os homens com 60 anos

não ejaculassem mais. Essas eram as quantidades máximas, e se

você consegue transformar sua energia sexual desviando-a pela

es inha, quanto menos você ejacular melhor será para você.

Talvez isso seja difícil nos primeiros momentos em que você

começar a praticar o Sexo Kung Fu, mas uma vez que sinta o

prazer dos orgasmos não-ejaculatórios e entenda seus benefícios

ara a saúde, ficará extremamente motivado a aprender o mais

á pido possível. Será melhor se você começar ainda jovem, pois

sua ânsia de ejacular diminuirá, e à medida que for envelhecendo

terá cada vez menos interesse nisso.

Essas recomendações de Sun Ssu-miao são apenas orienta-

ções para que, aos poucos, você possa simplesmente diminuir o

número de vezes que ejacula. Isso permitirá que você, natural-

mente, mantenha a freqüência da ejaculação em sintonia com o

aumento de suas necessidades de conservação. É interessante

dizer que Masters e Johnson reconheceram que os homens não

precisam ejacular todas as vezes que fazem amor, principalmente

quando eles atingem a idade dos 50 anos. Eles concluíram: “Se

um homem também reconhece isso, ele é um parceiro eficiente

em todo o seu potencial.”É bom lembrar, e é muito importante

que você não fique obcecado em não ejacular, como não deve

se censurar caso venha a acontecer. Mas se acontecer “relaxe e

goze”.

Conservando o Amor Vivo

No Ocidente, achamos que o amor e o tesão têm o seu clímax

na noite de núpcias e morre em seguida.• Os motivos desse

declínio nunca nos foram explicados totalmente, mas parece que

depois que a emoção da conquista se acaba, o tédio (supos-

tamente) toma o seu lugar. Para os taoístas, a noite de núpcias é

apenas o começo de uma vida para a expansão do amor e da

intimidade. Com o Sexo Kung Fu, amor e sexo são melhores aos

50 anos, ou até mesmo aos 60, do que são aos 20. Eis o p

orquê.

MANTENDO AS BATERIAS DA ATRAÇÃO SEXUAL

SEMPRE CARREGADAS

Segundo o taoísmo, a atração do homem ara com a

parceira depende da intimidade que existe entre eles.

potência da carga das energias yin yang

quanto maior a carga, maior o tesão. E

vice-versa. A perda dessa carga é a razão para muitos relaciona-

mentos se tornarem vulgares e tediosos. (É também a razão para

que muitos desses casais sintam uma palpitação de tesão depois

que um dos parceiros se ausenta, uma vez que uma separação

temporária faz com que haja um reabastecimento nas polaridades

dos parceiros.)Sexo é um dos principais motivos para a perda

dessa carga, quando o homem ejacula ele desperdiça a energia yang.

Conscientemente ou não, o homem começa a

perceber que está ficando cansado de fazer sexo. Embora o mais

comum estereótipo seja do marido insaciável e da esposa frígida,

a verdade é que são os homens mais do que as mulheres que,

determinam a freqiiência do sexo. Com o tempo, o desperdício

da energia de um homem e, especificamente, sua carga yang,

pode levar ao desinteresse e ao tédio de ambos os parceiros.

Alguns casais conseguem, temporariamente, refazer o seu

relacionamento quando passam a dormir em camas separadas

ou a ficar longe um do outro por um determinado tempo. O

aperfeiçoamento em dupla (descrito no Capítulo 5) faz com que

os casais mantenham tanto essa polaridade quanto o seu relacio-

namento completamente em sintonia. Não há razão para .que o

amor se torne desinteressante ou que o tédio se instale. Apesar

de haver inúmeros motivos para que as pessoas tenham casos

extraconjugais, o tédio e a insatisfação sexual são certamente os

dois principais. Manter a força da atração no seu relacionamento

vontade de rocurar o encanto de um novo amor. Há

prazeres inesgotáveis em qualquer casal, se ele for capaz de

conservar e trocar sua energia sexual. Um homem multi-orgasmá-

tico descreve sua experiência e da sua parceira: “A prática tem

aprofundado o nosso relacionamento, nosso amor está crescen-

do e a nossa atração magnética parece não diminuir, e sim

aumentar.”

Ao contrário da concepção estereotipada de que o sexo no

casamento não é satisfatório, alguns estudos mostram que há

casais que fazem sexo muito melhorque aqueles que têm casos

extraconjugais. Bernie Zilbergeld diz que tanto os homens quan-

to as mulheres casados tendem a ter menos variação e a sentir

rrcenos prazer em seus casos, e que as mulheres são mais

orgasmáticas com seus maridos do que com seus amantes. As

mulheres não são as únicas que são mais orgasmáticas com seus

maridos. Kinsey também descobriu que os homens costumam

falhar e não alcançar o orgasmo em seus casos extraconjugais,

mas quase nunca passam por essa falha com suas mulheres.

O sexo bom não é o único benefício de uma relação

duradoura. Um estudo feito por Berkeley, na Universidade da

Califórnia, concluiu que os casais que estão casados por muito

tempo se tornam cada vez mais felizes e mais apaixonados à

medida que envelhecem. Na nossa sociedade, estamos sempre

exaltando os novos amores em canções, livros e filmes, deixando

o amor entre os casais de idosos como um amor sem paixão e

enfadonho. Roben Levenson, um dos pesquisadores, disse: “Na

verdade, o que pensamos é que nesses relacionamentos vamos

apenas nos deparar com um tipo de desgaste. Porém, isso é tudo

o que não iremos ver. Eles estão vivos, são vibrantes, emocionais,

divertidos, sexy e nunca se cansam.” As últimas pesquisas

biológicas revelam que a presença do amante antigo aumenta a

produção de endorfina, um “analgésico” natural, que dá aos

parceiros uma sensação de paz e segurança nas suas vidas.”•

Os casais que optam por se amarem sem se casar podem

fazer o bom sexo, que é tão sagrado e íntimo quanto o sexo

daqueles que são casados legalmente- desde que eles prati-

quem a união de yin e yang. Ainda é importante saber que levam

anos para alcançar os mais altos níveis de intimidade física,

emocional e espiritual e aperfeiçoar a união de yin e yang. Diz-se

no taoísmo que se leva sete anos para conhecer o corpo de uma

mulher, sete anos para conhecer a sua mente e sete anos para

conhecer o seu espírito. O ditado não quer dizer que após esse

tempo você para de aprender ou começa a ficar entediado

simplesmente significa que leva 21 anos para você realmente ficar

familiarizado.

As “Estações” de Nossa Vida Sexual

Os taoístas sabiam que os relacionamentos não são lineares. Eles

não se aprumam na noite de núpcias nem em qualquer outra

noite. Sem dúvida, eles alternam os períodos de crescimento com

os períodos de decadência ocasionados pelos ciclos da família

do trabalho, da saúde e até mesmo da natureza. É importante ter

consciência desses ciclos e saber conviver em harmonia com eles,

dentro ou fora da cama.

Joseph Kramer explica a sexualidade taoísta: “Na tradição

oriental há um olhocontato durante todo o tempo do sexo.

`Estou fazendo sexo. Estou respirando com você. Estou relaxado com

com você. Estou ligado pelo coração a você. Estou ligado pelos genitais

a você. O sexo é um relacionamento taoísta.

Na verdade, o sexo ciente da energia começa 48 horas

antes de se fazer amor; a energia e as emoções

que acumuladas durante esse tempo vão até a cama. Por isso,

um dia ou dois antes de ir para a cama, não deve haver qualquer

emoção negativa, principalmente ódio, pois irá bloquear a troca

de energia entre ambos. Quanto mais calmos e ligados estiverem

quando começarem, mais fácil será alcançar os altos níveis de

intimidade e de êxtase. É transparente o modo como os casais

planejam o sexo com a antecedência de dois dias, por isso devem

reconhecer suas emoções e tentar trabalhá-las com a possível

brevidade.

O desempenho, também, começa antes de haver qualquer

toque de um no outro. O cenário criado- velas, música suave

e palavras românticas- ajuda a harmonizar as energias. Durante

e depois do sexo o casal deve ficar presente um com outro:

lembrem-se dos olhos. A tentativa aqui é ter a sensação de estar

junto com alguém e não sentir apenas um clímax momentâneo.

Se o sexo começar a se tornar uma rotina ou até mesmo

mecânico, deve ser evitado por um tempo. Isso fará com que o

tesão que polariza o casal seja recarregado. O toque e a

intimidade devem estar sempre presentes. O fato de não estarem

fazendo amor não significa que não devam se abraçar ou ficar

emocionalmente íntimos. De fato, passar por um “jejum de sexo”

pode fazer com que sejam observadas outras partes do relacio-

namento que são tão importantes. Concentrem-se na qualidade

de seu amor, que a qualidade de seu sexo irá melhorar.

OS CICLOS DO DESEJO

Você também vai descobrir que os ciclos de seu desejo sexual

nem sempre coincidem. Às vezes, você tem mais desejo do que

sua parceira, e outras tem menos. Ninguém que esteja realmente

em sintonia com seu corpo ou emoções vai querer sexo o tempo

todo. Contudo, o que você deveria fazer se um de vocês estivesse

interessado em sexo, mas o outro não? Há várias opções que

correspondem a diferentes meios de fazer amor.

Vamos supor que esta noite você esteja superexcitado e sua

parceira não. Claro que, se ela estiver interessada, irá lhe dar

prazer oral ou manualmente. Se não estiver disposta, talvez possa

querer tocá-lo ou abraçá-lo enquanto você se masturba. Se ainda

ela não estiver com vontade para isso, talvez esteja apenas

querendo trocar carícias que não sejam sexuais. Você pode trocar

grande quantidade de poderosa e curativa energia através de um

abraço ou acariciando um ao outro. (O exercício Como Fazer a

Meditação, descrito no Capítulo 8, é uma opção.)

Se o sexo é exatamente o que você precisa mas não é o

que sua parceira está interessada, você pode fazer amor com

você mesmo (isto é, masturbar-se). Lembre-se, todos nós temos

yin e yang, aspectos femininos e masculinos, dentro de nós. A

autopenetração, ou a união desses dois aspectos, é uma parte

muito poderosa da prática taoísta. Michael Winn explica: “É

possível controlar tanto a energia sexual dos genitais e dos rins

quanto a energia emocional do coração através da meditação. A

prática da meditação, conhecida como o método da água e do

fogo (chamada de Lesser Kan e Li ), permite que você, literalmen-

te, faça amor consigo mesmo e tenha um alto nível de orgasmo,

aquele que apaga os limites entre o seu corpo e o seu espírito.

Essa prática também proporciona grandes benefícios à saúde e

é tradicionalmente referida como um método de renovação do

corpo e da alma.”

Devido ao estigma social da masturbação, muitas pessoas

ficam desconcertadas em se masturbar quando qualquer um,

incluindo sua parceira, está por perto. Entretanto, se essa parte

natural da sexualidade humana pode ser discutida em um diálogo

aberto, você verá que pode harmonizar seu ciclo individual

sexual com facilidade e muito prazer.

INTEGRANDO A ENERGIA SEXUAL À SUA VIDA

Quase sempre as pessoas se voltam para o sexo quando

precisam de um toque amoroso. Como um homem multiorgas-

mático expõe: “A maior descoberta para mim foi que eu podia

fazer sexo vestido, ou apenas ficar com alguém compartilhando

a energia. É muito sexual tocar e segurar as mãos e sentir a

energia sexual fluir através de nossos corpos. Isso realmente é

liberdade sexual, porque o sexo não é apenas alguma coisa em

que você se engaja periodicamente. Sua sexualidade está inte-

grada em toda a sua vida, acrescentando cor e intensidade,

interesse e paixão a todas as coisas.”

Se você é um chefe de família com problemas no trabalho

ou pessoais, ou tem uma carreira extremamente exigente, a

energia sexual ora desenvolvida, através da prática do Sexo

Kung Fu, é que pode ajudá-lo a evitar um superesgotamento.

As crescentes requisições de trabalho e da família, e nossas

vidas que estão quase sempre cheias de compromissos, são o

suficiente para que qualquer um fique exausto. Uma vez que

você consiga desenvolver sua energia tanto fora quanto dentro

da cama, verá que tem mais energia do que achava ser

possível.

FANTASIAS

Muitos especialistas em sexo do Ocidente recomendam ter

sempre uma fantasia viva e, na verdade, as fantasias podem

ajudar você a gerar energia sexual quando você está se

masturbando. Entretanto, é perigoso lançar mão da fantasia

sexual quando estiver com sua parceira. A troca das energias

yin e yang com sua parceira é real, não imaginária. Se

concentrar sua atenção em alguma amante idealizada por você

ou em alguma imagem pornógráfica, não conseguirá sentir a

verdadeira e profunda energia entre você e sua parceira. As

fantasias impedem que você fique presente e que deixe de

apreciar o que é realmente fantástico em sua parceira e sobre o

seu potencial de sentir os mais altos níveis de êxtase quando

estão juntos.

OS RITMOS NORMAIS

Finalmente, lembre-se de observar os ritmos em geral de

seu corpo e natureza. Evite fazer amor logo após uma grande

refeição, porque, depois de comer, seu organismo precisa de

sangue e de energia na digestão. Quando acabar de comer, você

deve ficar satisfeito, não afrontado, sempre deixando uma míni-

ma fome para depois. (À medida que a comida se assenta, você

fica pleno.) Quando você termina de fazer amor, também deve

ficar satisfeito e não saciado, deixando um pequeno desejo para

depois. (À meida que sua energia se acomoda, você se torna

mais disposto.)

Se você estiver meio adoentado, faça amor com sua

parceira por cima, só assim você pode absorver a energia de

cura. E lembre-se das estações da natureza. Todas as plantas

e todos os animais se reproduzem na primavera. Apesar de os

seres humanos serem os únicos a ter a capacidade de fazer

amor o ano inteiro, não pense que você ou sua parceira serão

tão sexualmente ativos no outono e no inverno quanto o são na

primavera e no verão.

O Sexo Kung Fu lhe proporciona o potencial do sexo

multiorgasmático que está muito além daquele que a maioria das

pessoas estabelece em suas vidas sexuais, mas isso não significa

que você precise atingir os mais altos níveis de êxtase todas as

vezes que você tiver intimidade com sua parceira. Escute os

ritmos de seu corpo e de seu desejo.

EVITE AUMENTAR OS RISCOS

Todas as vezes que uma possibilidade sexual é apresentada

aos leitores ocidentais, os riscos sexuais tendem a aumentar.

Quando o orgasmo das mulheres foi “descoberto”, era esperado

que os casais tivessem orgasmos simultâneos. Quando algumas

mulheres se descobriram como multiorgasmáticas e que tinham

Pontos G, era esperado que, então, todas as mulheres tivessem

orgasmos .múltiplos e Pontos G. Todavia, todo homem tem o

potencial de se tornar multiorgasmático e de sentir orgasmos totais,

mas nem todo homem vai querer sentir isso todo o tempo. Tente

evitar gerar expectativas de performance e de ansiedade; as técnicas

sexuais taoístas que estamos ensinando também são chamadas de

amor que cura. Se você se concentrar no amor e na cura, para você

e para a sua parceira, o resto fluirá naturalmente.

Proibindo o Amor Livre

A monogamia está de volta, mesmo que seja apenas por precau-

ção da saúde. Porém, a monogamia é muito mais do que uma

incômoda condição dos tempos atuais. Estar com a parceira certa,

é importante para o processo alquímico mais poderoso do prazer

físico, da intimidade emocional e da elevação espiritual.

Se o indiscriminado acúmulo de energia sexual fosse o

objetivo do Sexo Kung Fu, seria melhor dormir com o maior

número de pessoas possível e trocar energia com todas elas e,

na verdade, há textos antigos taoístas que recomendavam essa

prática. Mas, não é só a quantidade de energia sexual que você

tem que é importante, é também a qualidade dessa energia. O

objetivo do Sexo Kung Fu é transformar, eventualmente, a

energia sexual em energias mais puras e sutis para o coração,

mente e espírito.

ENERGIA SEXUAL E AS EMOÇÕES

Se você está dormindo com pessoas que têm muitos

sentimentos negativos (como ódio ou tristeza), conseqüentemen-

te irá interiorizar tais sentimentos. Não importa a quantidade de

preseruativos que você coloca entre você e sua parceira, pois estará

sempre trocando energia emocional e espiritual (como também

sexual ). Por isso, evite violar sua integridade espiritual, emocio-

nal e corporal fazendo sexo com qualquer pessoa que você não

respeite e nem ame. Ao escolher uma parceira, você estará

escolhendo o seu destino espiritual.

Na realidade, os homens (e as mulheres) que não encon-

traram ainda sua parceria têm aqueles ímpetos sexuais que

precisam de ser satisfeitos- uma comichão que prècisa ser

coçada. Se essa é sua situação, seria melhor praticar o aperfei-

çoamento “solo” e aprender a circular e a transformar sua energia

sexual. Esse período de treinamento fará com que você aumente

o nível de sua energia interna; mais dia, menos dia, você irá atrair

uma parceira consciente e madura. Se você dormir com alguém

que não ama, sua energia ficará em desarmonia e até pode causar

desequilíbrios e consumação a seu corpo. Pelo mesmo motivo,

você deve fazer amor com a parceira somente quando sentir uma

real atração por ela. Se você acha que tem de dormir com

mulheres que não ama, tente, pelo menos, ser o mais terno e

amoroso que puder, senão será impossível para você praticar o

Sexo Kung Fu.

Um número bem inferior de homens é seduzido ou interes-

sado por começar um relacionamento com mais de uma mulher.

Entretanto, poucos homens podem amar mais de uma mulher ao

mesmo tempo e ficar profundamente calmos. Se você acha que

pode, esteja preparado para empregar um grande esforço tentan-

do transformar e equilibrar suas energias.

Lembre-se de que a energia sexual simplesmente amplia

quaisquer que sejam as emoções que você esteja sentindo. O

sexo é a ferramenta mais poderosa para o desenvolvimento de

um relacionamento e para unir nossas vidas, mas ele também

pode ser uma arma afiada que pode cortar tais laços e deixar

cicatrizes permanentes. Todos aqueles que viveram a revolução

sexual dos anos 60 aprenderam que não há “amor livre”: a

sabedoria sexual atinge um alto preço e deve ser conservada de

acordo.

Ensinando aos Nossos Filhos

Com certeza nunca lhe falaram sobre o Sexo Kung Fu enquanto

você estava crescendo e aprendendo sobre a sua sexualidade.

Poucas pessoas têm essa sorte. A maioria dos meninos aprende

muito pouco sobre a sexualidade e praticamente nada que seja

aproveitável. Eles são deixados andando às cegas na escuridão

da intimidade sexual e do prazer. Um homem multi-orgasmático

explica: “Para mim, descobrir a sexualidade taoísta foi como

encontrar, por acaso, a informação e a direção que deveriam ter

sido explicadas para mim desde o começo. Vi que estava no

caminho certo para fazer amor, pois o outro modo me parecia

ridículo, embara oso e até mesmo egoísta. ‘ Nós, erroneamente,

adotamos essa parte inevitável de nosso desenvolvimento. Mas,

agora você tem a chance de ajudar o seu filho a evitar essa

situação e de salvá-lo dos medos e das frustrações.

NEM PÁSSAROS, NEM ABELHAS

Ambos os pais têm um papel importante na educação

sexual de seus filhos e filhas. Mas uma vez que esse é, original-

mente, um livro para homens, iremos focalizar apenas os pais e

os filhos, apesar de que o muito que temos a dizer é aplicável

às mães e às filhas também. Quando as pessoas pensam na

discussão sobre sexo entre pais e filhos, geralmente, pensam

na famosa conversa de homem para homem, sobre os pássaros

e as abelhas, quando os meninos estão na idade para falar desse

assunto. As crianças crescem muito mais rápido hoje para ter

discussões graciosamente antiquadas sobre pássaros e abelhas

-como era de costume. Na realidade, para começar a es-

tabelecer um diálogo sobre a sexualidade, no desenvolvimento

de nosso filho, a adolescência já é tardia.

Se você sempre manteve um relacionamento aberto com o

seu filho, tal conversa não será necessária. A curiosidade das

crianças sobre sexo começa cedo, e sua sexualidade começa mais

cedo ainda. Qualquer um que tenha testemunhado um garotinho

se tocando e puxando o seu pênis e o escroto (que sempre estão

duros!) sabe que isso não é apenas uma exploração a esmo. O

menino está obtendo prazer- mais do que recebe quando, por

exemplo, ele puxa os seus dedos dos pés.

Os bebês são seres sexuais, ou talvez, poderíamos dizer

sensuais, visto que, normalmente, associamos sexualidade

com avançados estágios de desenvolvimento. Contudo, seu prazer

físico e genital é incontestável- por mais que tentemos negá-lo.`

Freud chamava a sensualidade infantil de `perversidade polimór-

fica”, mas não há nada de perverso sobre isso exceto nossas

próprias tentativas em reprimi-la. A maneira como você reage às

explorações de seu filho e às questões sobre seus corpos, seu e

dele, irá ensiná-lo bastante sobre sua sexualidade. Desenvolver

um relacionamento saudável e amoroso em prol de sua sexuali-

dade e encorajá-lo a manter isso, é a primeira coisa a fazer pelo

seu filho.

O RELACIONAMENTO COM SUA PARCEIRA

As crianças aprendem muito sobre intimidade apenas

observando os seus próprios pais. Como você trata sua mulher

ou parceira será o exemplo que o seu filho usará para tratar as

meninas e, mais tarde, as mulheres. Aprender sobre sexo é, na

verdade, aprender sobre os papéis que o sexo desempenha sobre

comunicação e sobre amor. O que você demonstra provoca mais

impacto no seu filho do que quando você fala. Por isso, lembre-se

de que você está sempre ensinando- seja quando vocês estão

gritando um com o outro ou quando estão se dando as mãos.

Em nossa cultura, nós nos preocupamos com as crianças

que vêem os seus pais se acariciando fisicamente. Mas não há

nada de errado com as crianças testemunharem essas expressões

de amor. De fato, talvez haja mais problema em não testemu-

nharem. Essa ausência de carinho não só leva a criança a ficar

imaginando se seus pais se amam, como sempre os deixam sem

exemplos de como expressar afeição para com os seus próprios

parceiros.emplificar um relacionamento saudável e amoroso

com a sua parceira é a segunda coisa a fazer pelo seu filho-

não só para a sua parceira como para você mesmo.

O RELACIONAMENTO COM SEU FILHO

Muitos homens estão começando a se envolver com os

cuidados de uma criança, mais do que seus próprios pais,

desenvolvendo relacionamentos mais carinhosos e amorosos

entre pais e filhos, embora muitos pais ainda não se sintam

confortáveis em expressar afeição, principalmente a afeição física

como segurá-los, abraçá-los ou beijá-los. Ou, se os pais são

capazes de o fazer quando seus filhos ainda são garotinhos, se

esquivam à medida que eles crescem. Muitos desses filhos, hoje

homens, nunca experimentaram amor de seus pais e por isso

não têm um exemplo de como expressá-lo.

Alguns homens acham que se eles forem muito carinhosos,

os seus meninos se tornarão frouxos, adamados ou gays. Não há

provas válidas para essas idéias, mas está claro que a homofobia,

em nossa cultura, faz com o que os homens não expressem sua

afeição de um para com o outro, e o mais terrível, com os próprios

filhos. Nos últimos dez anos, uma outra questão surgiu fazendo

com que os pais evitassem ser afetivos fisicamente para com seus

filhos e filhas, considerando que, a evidente preocupação da

sociedade em superproteger as crianças contra o abuso sexual

e o incesto, leva à suspeita toda afeição física masculina-

uma vez que, na maioria, todos os perpetradores sejam os

homens.

O toque é a necessidade básica do ser humano, e muitos

estudos relatam que os bebês que não receberam carinho

suficiente morreram. Mas os bebês não são os únicos que

precisam de um toque de carinho. Seu filho precisará de seu

toque de amor por toda a sua vida. Contudo, não se surpreenda

se seu filho passar por uma fase na qual ele recuse sua afeição

-principalmente na adolescência, quando ele está mais preo-

cupado com a opinião dos amigos e esteja tentando se tornar

independente. Não obstante, se você mantiver um relaciona-

mento aberto e amoroso com ele, essa separação será apenas

temporária. O artista marcial e ator Chuck Norris contou uma das

suas maiores alegrias quando estava criando os seus filhos: “Uma

das mais maiores gratificações hoje é que meus filhos já crescidos

não ficam embaraçados ao me beijar quando me cumprimentam

na frente de qualquer pessoa, e também que sempre me procu-

ram para aconselhá-los ou ajudá-los quando têm algum proble-

ma.”

A afeição física é apenas uma parte do relacionamento

amoroso. A intimidade emocional e o respeito pelo seu filho são

fundamentais para manter um diálogo aberto. Norris, cujo pai

era um alcoólatra, expõe como ele tentou se tornar um exemplo

completamente diferente: “Eu queria que meus filhos soubessem

que eu estava ali, que cuidava deles e que estava sempre por

perto. Eu sou muito chegado aos meus filhos. Brinco com eles,

escuto seus problemas, seguro-os nos braços quando se machu-

cam e divido com eles todos os eventos, crises e sucessos de

suas vidas.”1o Escutar o seu filho e conhecer tanto os seus

sentimentos quanto os seus medos fará com que ele chegue até

você. Se você se faz ouvir em sua dor, ele certamente será capaz

de compartilhar com você as suas dúvidas sobre o prazer. Construir

um relacionamento saudável e amoroso com seu filho é, sem

dúvida, a coisa mais importante que você pode fazerpor ele.

COMPARTILHANDO A SEXUALIDADE TAOÍSTA

COM SEUS FILHOS

Embora as pessoas nunca estejam tão velhas para se

beneficiar do Tao, quanto mais cedo começarem a praticar mais

lucrarão. Isso também vale para nossos filhos. Se você conseguir

compartilhar com seus filhos alguns dos ensinamentos desse

livro, poderá evitar sofrimentos e desperdício de energia.

Uma vez que as práticas são feitas na privacidade, seu filho

nada poderá aprender a partir de suas ações. O Sexo Kung Fu é

algo que você tem de ensinar através das palavras- suas

próprias ou de outros.

Bem antes dos meninos se interessarem por sexo, eles

experimentam a energia sexual. Os meninos (e os homens) têm

ereção e ficam excitados por quaisquer razões- inquietação

Por estarem à toa. (Você se lembra daqueles “colegas” na aula

de matemática?) Um homem multi-orgasmático contou a sua

experiência: “Uma manhã, meu filho chamou-me no banheiro e

disse: ‘Pai, não consigo fazer xixi.’ Entrei no banheiro e percebi

que ele tinha acordado com uma ereção, a qual estava evitando

que fizesse xixi. Eu lhe ensinei o Desvio Moderado, o que ele

tem feito muito bem, além de controlar a sua energia sexual.” Os

meninos sempre ficam nervosos por não serem capazes de

entender e de controlar sua energia sexual. Se você pode ajudar

o seu filho a canalizar essa energia vital, irá livrá-lo de uma grande

frustração sexual.

Os jovens, em geral não são capazes de entender a filosofia

de Tao. O Dr. Sun Ssu-miao, em uma das suas valiosas prescri-

ções, diz: `Quando um homem está na idade jovem, geralmente

não compreende a filosofia de Tao. Ou até mesmo se ouviu falar

ou leu sobre ela, é improvável que acredite e pratique. Quando

ele alcançar a sua velhice vulnerável, descobrirá o significado de

Tao. Mas aí, quase sempre, é muito tarde, e para ele será difícil

se beneficiar totalmente de tal filosofia.”

Espere pela oportununidade de seu filho vir a !he pedir um

conselho; você pode presenteá-lo com esse livro e outros

materiais para ler, explicando que gostaria de ter lido sobre as

práticas na idade em que ele está agora. Se você deixar esse livro

na sua prateleira ou em um lugar de fácil acesso, talvez ele pegue

o livro por si só, o importante para ele é saber que não tem de

se trancar no quanto ou no banheiro para ler. Se você acha que

ele não deve ler um livro sobre sexualidade tão explícita,

enquanto não alcance a idade apropriada, irá deixá-lo bastante

curioso para querer ler o livro. Esteja certo de que ele não se

interessará enquanto não estiver pronto, pois quando o estiver

irá procurar saber de uma forma ou de outra.

Sexualidade, Segredos e Tao

Deveria ficar claro apatir de agora que o taoísmo, diferente

de outras tradições espirituais, nos estimula a conhecer o que nos

envolve e que a sexualidade é uma parte vital para humanidade.

Para muitos ocidentais que têm sido ensinados para ter vergonha

de seus próprios corpos, de uma maneira ou de outra, isso é uma

idéia que revoluciona. Ironicamente (alguns diriam hipocrita-

mente), os povos ocidentais se deleitam ao mesmo tempo que

condenam. Portanto, para a maioria das pessoas que está acos-

tumada a ver o sexo ser usado para vender tudo, desde a cerveja

até o carro, a idéia que a sexualidade é também uma prática

espiritual é igualmente revolucionária.

Neste livro, tentamos explicar os pensamentos antigos dos

taoístas sobre o amor e a relação sexual e como eles podem ser

usados pelas pessoas atualmente. Se você não procurar por

outras práticas a não ser as deste livro, sua vida certamente será

enriquecida. Entretanto, seríamos negligentes se não explicás-

semos que a sexualidade é apenas uma parte da prática taoísta

e que há outros pensamentos e exercícios igualmente poderosos

e eficazes para o desenvolvimento do seu corpo, suas emoções,

sua mente e seu espírito, fora e dentro do quarto.

As tradições medicinais do taoísmo, conhecidas no Ociden-

te como medicina chinesa e acupuntura, têm ajudado a inúmeras

pessoas a reconquistar suas saúdes; os exercícios chi-kung e

Tai-chi têm sido as bases das artes marciais que trabalham o

interior agora populares mundialmente; e a essência filosófica do

texto taoísta, o Tao Te Ching , é um dos trabalhos mais traduzidos

e lidos no mundo da literatura. Além disso, nos últimos 20 anos,

as artes da cama vêm transformando a vida sexual das pessoas

de todo o mundo. O taoísmo tem muita sabedoria prática a

oferecer- a sabedoria que pode ajudar as pessoas de qualquer

religião a ter uma vida saudável e significativa.

Como mencionamos na Introdução, Mantak Chia e sua

mulher Maneewan, desenvolveram a Cura Tao, e eles têm escrito

vários livros explicando as muitas partes desse esquema de

saúde. Há mais de 3.000 instrutores de Cura Tao nas cidades de

todo o mundo que podem ajudar na prática. Se você estiver

interessado em descobrir outros aspectos dessa prática, leia

outros livro sobre a Cura Tao ou entre em contato com um

instrutor (veja o Apêndice). Se, ainda, você e sua parceira

estiverem interessados especificamente em ler mais sobre as

práticas sexuais, poderá procurar pelos dois últimos livros com

técnicas mais avançadas de Mantak Chia: Taoist Secrets of Love:

Cultivating Male Sexual Energy (Os Segredos Taoístas do Amor:

Desenvolvendo a Energia Sexual Masculina), com a co-autoria

de Michael Winn, e Healing Love Through the Tao: Cultivating

Fe>nale Sexual Energy (O Amor que Cura Através de Tao:

Desenvolvendo a Energia Sexual Feminina), tendo como co-au-

tora Maneewan Chia. Há outros excelentes livros e professores

sobre as práticas taoístas que não estão relacionadas com a Cura

Tao. O taoísmo não quer converter ninguém, por isso ele é menos

conhecido do que algumas outras tradições espirituais, mas se

você procurar por professores irá encontrá-los.

A filosofia e as práticas que ensinamos nesse livro são

segredos que estiveram muito bem guardados por milênios para

serem transmitidos dos mestres aos seus discípulos, através de

anos de treinamento. Ora o apresentamos porque acreditamos

que a cultura humana, como um todo, se beneficiará dessa

disseminação. A desordem carnal é apenas um dos dilemas que

encaramos nos dias de hoje, mas à medida que nos corrigirmos

e aos nossos relacionamentos, começaremos a curar o próprio

planeta- segundo Tao, para que sejamos parte da natureza

assim como a natureza é parte de nós.ll Acreditamos que essa

cura deva começar na cama, pois é nela que as gerações são

concebidas. É através do amor e do sexo que a humanidade

continua a existir, e é no amor e no fazer amor que o poder da

transformação torna-se, talvez, o maior de todos.

Entretanto, esses ensinamentos não devem ser considera-

dos sem seriedade ou valor, só porque você não paga um milhão

em peças de ouro ou estuda por uma década com um mestre

que lhe ensine tudo. Trate-os com carinho e eles vão recompen-

sá-lo de múltiplas formas. Leia, releia, pratique e compartilhe-os

com os outros. Quanto mais prazer você der, mais prazer

receberá. Quanto mais você curar, mais será curado. Esse é o

verdadeiro segredo da sexualidade taoísta.

NOTAS

INTRODUÇÃO

l. Após ler esses relatos, Herant Katchadourian, M.D., autor do texto

padrão Fundamentals of Human Sexuality (Fundamentos da Sexuali-

dade Humana), concluiu: “Os antigos chineses entendiam claramente

a distinção entre o orgasmo ejaculatório e o não-ejaculatório. Aqueles

que dominaram a arte de alcançar e se prevenir contra o último e óbvio

período refratário [em outras palavras, não perdiam a sua ereção] o que

tornava possível para eles se engajarem em prolongados coitos com

orgasmos múltiplos não-ejaculatórios (pág. 292).

2.Durante a execução de seus famosos estudos sobre a sexualidade

masculina, Kinsey descobriu que “o orgasmo pode ocorrer sem a

emissão de sêmen… Esses machos experimentam os orgasmos verda-

deiros, os quais eles não têm dificuldade em reconhecer, mesmo se não

ejacularem.” Veja Kinsey no livro Sexual Behavior in the Human Male

(Comportamento Sexual do Macho Humano), págs.158-59.

3.Hanman e Fithian, Any Man Can (Todo Homem Pode), pág. 157.

Natalie Angier, New York Times, 3 de dezembro de 1992, página de

abenura.

TÍTULO UM: A prova está nas suas calças

1. As muiras pessoas que negam a possibilidade de o homem ser

multiorgasmático confundem o orgasmo com a ejaculação. Os pioneiros

pesquisadores sobre sexo William Masters e Virginia Johnson colocaram

o título do capítulo 1 em seu livro de 19•(, Human Sexual Response (A

Reação Sexual do Ser Humano) “The Male Orgasm (Ejaculation)” (O

Orgasmo Masculino [Ejaculação]). Em suas pesquisas, eles descobriram

que pouquíssimas de suas cobaias eram capazes de ter orgasmos

repetidos depois qtte ejaculavam. Contudo, Katchadourian explica: “As

últimas provas revelam que o orgasmo múltiplo não é tão raro quando

o homem experimenta o orgasmo sem ejacular.” Mesmo quando

Masters e Johnson definiram tanto o orgasmo como “de repente,

contrações musculares rítmicas na região pélvica ou em qualquer

outra região do corpo, é o que alivia a tensão sexual acumulada e as

sensaçòes da mente que acompanham essa experiência”, quanto a ejaculação

como uma simples “liberação do sêmen”. A sexualidade taoísta sempre

achou que os homens têm orgasmos múltiplos e não ejaculações

múltiplas.

2.A escola Reichiana de psicoterapia faz uma distinção entre o

climax,como contrações musculares nos genitais, e o orgasmo que define

como contraçòes que se espalham por todo o corpo. Embora essa distinção

possa provar ser útil no aprendizado para separar o clímax (e o

orgasmo) da ejaculação, ela parece um tanto radical. Na continuidade

do prazer sexual, a linha entre o clímax e o orgasmo sempre está

embaçada. Por isso, para os propósitos desse livro, iremos falar

sobre clímax (ou contrações genitais) como um dos aspectos do orgasmo.

3.Dunn e Trost, “Os Orgasmos Múltiplos Masculinos: Um Estudo Descri-

tivo” Archives of Sexual Behavior(Arquivos do Comportamento

Sexual),pág. 382.

4.As descobertas foram publicadas no jornal Nature. Voorhies

escreve:”O sexo e a mone são dois fundamentais, porém não compreendidos

aspectos da vida. Julga-se sempre que eles estejam ligados, porque a

reprodução requer a divergência dos recursos limitados de um

desenvolvimento (corporal) e de uma manutenção somática. Essa

divergência de recursos em animais acasalados, muitas vezes

chamadas de o custo da reprodução, é comumente expressada

como uma redução da vida útil nos animais que se acasalam…

Essa redução de vida útil dos machos que acasalam parece ser

causada por uma produção a mais de esperma e não pela

atividade física do acasalamento. Essa conclusão está baseada nas

observações da mutação que reduzia a produção de esperma, mas

aumentava a média da vida útil em 65o•o em ambos, os machos que

acasalavam e os hermafroditas… Isso contradiz a tradicional

pretensão biológica de que é mais trabalhoso para os grandes (testículos)

produzirem um simples esperma.” Wayne A. Van Voorhies,

“A Produção de Esperma Reduz a Vida Útil das Nematóides”, Nature 360

(Natureza 360) (3 de dezembro de 1992): 456-58.

CAPÍTULO DOIS: Conheça-se a si mesmo

1. A medicina ocidental identificou: (1) uma fase latente

(preenchimento);(2) um estágio de intumescimento (inchação);

C3) um estágio de ereção total; (4) um estágio de uma ereção rígida.

Os estágios pré- e pós- ereção (flácido e murcho, respectivamente)

também são, algumas vezes, adicionados.

2.Muitos estudos atuais têm aumentado a preocupação de que a vasec-

tomia pode estar ligada ao câncer de próstata. Mas o Dr. Stuan S.

Howards escreve no Western Journa! oJMedicine: “A possível relação

entre a vasectomia e o câncer de próstata tem de ser vista com algum

ceticismo, porque dois outros estudos, um dos quais levou muito tempo

para prosseguir, não encontrou qualquer efeito. Além disso, não há uma

explicação biologicamente plausível para a relação entre a vasectomia

e o câncer de próstata” (vol. 160 n o 2 [Fevereiro de 1994]: 1•C). Uma

vez que os doutores não sabem o que causa o câncer de próstata, é

muito difícil para a medicina ocidental explicar qualquer ligação entre

ele e a vasectomia.

3.Muitos observadores e céticos da sexualidade oriental têm confundido

erroneamente a ejaculação retrógrada com a não ejaculação descrita

pelos taoístas.

CAPfTULO TRêS: Tornando-se multi-orgasmático

1. Gênesis 38: 8-10. Segundo as leis da Bíblia, quando um homem morre sem ter procriado, é de responsabilidade de seu imião engravidar a mulher do homem mono para que prossiga a linhagem de seu irmão.

2.No Ocidente, a medicina e a moralidade, infelizmente, têm estado

sempre ligadas. No começo de 1758, com a publicação da Onania, or

a Treatise upon the Disorders Produced by Masturbation (Tratado sobre

as Desordens Produzidas pela Masturbação), do médico suíço S. A.

Tissot, a medicina ocidental e, principalmente, a psiquiatria têm feito

afirmações, sem fundamentos, de que a masturbação causa a insanida-

de. A maioria dos argumentos estava baseada nas observações de que

os doentes mentais se masturbavam. Ninguém se preocupou em

pergunrar se a masturbação pode ser uma parte natural (desinibida) da

sexualidade humana, assim como o sadio e o insano podem comer e

dormir, eles podem se masturbar. (Segundo Tao, a ejaculação excessiva

em ambos, sadio e insano, pode levar a um “desgaste cerebral”.) Em

seu livro de 1882 Psychopathia Sexualis (Psicopatia Sexual), Richard

von Krafft-Ebing, um dos principais psiquiatras do mundo naquela

época, foi mais longe ao dizer que todo o sexo não reprodutivo era

anormal e doente.

3.Kinsey descobriu que os homens que estavam fazendo

faculdade se masturbaram até chegarem aos 21 anos. A percentagem

entre os já graduados era muito mais alta.

#4. M. Hunt, Sexual Behavior in the 1970s (O Comportamento Sexual

nos Anos 70), e R. Levin e A. Levin, “O Prazer Sexual”, Redbook (Set.

1975),

51-58, citado no livro de Zilbergeld, The New Male Sexuality (A

Nova Sexualidade Masculina), pág.128.

5.Os pesquisadores concluíram que “a masturbação é como usar o

erotismo e ter pensamentos freqüentes sobre sexo- e não uma válvula

de escape, nem sequer um componente de um estilo de vida sexual

ativo”. Veja Michael et al. em Sex in America (Sexo na América), págs.

158-165.

6.Com a tecnologia modema, conseguimos observar a crescente atividade

do esperma que ocorre durante a excitação sexual. A partir de uma

relativa imobilidade, seu esperma começa a bater os seus rabos com

uma velocidade incrível. Essa energia mecânica é uma das fontes óbvias

da energia sexual dos homens.

CAPÍTLILO QUATRO: Conheça a sua parceira

l. Anthony Pietropinto e Jacqueline Simenaut, Beyond theMale Myth(Além

do Mito Masculino) (Nova York: Signet,1977), citado no livro de Brauer

e Brauer, The ESO Ecstasy I’rogram (O Programa ESO de •xtase), pág.

27.

2.For Each Other (Um para o Outro), pág. 66, de Barbach. Veja também

“Sobre a Ejaculação Feminina” de Belzer, Whipple e Moger.

3.Sigmund Freud, o fundador da psicologia modema e um brilhante

teórico, realmente não entendeu isso muito bem. Em 1920, ele afirmou

que o clitóris era uma versão inferior do pênis e que as mulheres, por

esse motivo, tinham o que ele chamava de “pênis invejoso”. Ele

concluiu que as mulheres que eram orgasmáticas apenas no clitóris

eram sexualmente imaturas e não aquelas “mulheres de verdade”

que tinham os orgasmos vaginais. Bem maluco, não? Infelizmente,

só por volta de 1953 que Kinsey resgatou o orgasmo clitoriano do

estigma da imaturidade demonstrando que metade das mulheres que

ele entrevistou tinha orgasmos através do estímulo de seus clitóris e que

não havia provas de que elas eram menos maduras do que quaisquer

mulheres que tinham orgasmos através do estímulo de suas vaginas.

CAPÍTIJLO CINCO: Tornando-se um casal multi-orgasmático

1. Certamente, havia poderosas relações nas camas chinesas, e toda a

instituição de poligamia, múltiplas esposas e concubinas entre a nobre-

za, foi preenchida pelo poder da dinâmica. Além disso, os textos anteriores

eram bem claros no que diz respeito à preocupação com o prazer

(principalmente o das mulheres) e com a saúde para ambos os parceiros.

2. IChing.5.

3.”A média de infecção das pessoas que ainda não fazem parte do grupo

de risco, incluindo os seus parceiros, está estimada em 1/100.000″,

Instituto para Estudos Avançados da Sexualidade Humana, Complete

Guide to Safer Sex (Guia Completo para o Sexo Seguro), pág. 43.

CAPfTULO SEIS: Satisfação garantida

1. Hartman e Fithian.

2. Nos anos 50, o pesquisador sobre sexo Alfred Kinsey disse que 3/4 de

todos os homens esravam ejaculando em dois minutos, antes mesmo

de penetrar. A maioria das mulheres precisa, substancialmente, mais do

que dois minutos para sentir um orgasmo, sem falar nos orgasmos

múltiplos. Vinte e cinco anos depois, o Redbook Report of Female

Sexuality (O Relatório do Livro Vermelho da Sexualidade Feminina)

relatou que 3/4 das mulheres entrevistadas eram orgasmáticas durante a

penetração e que a maioria das mulheres precisava de, no mínimo, 6 a

10 minutos de penetração (Travis e Sadd, The Redbook Report on Female

Sexuality, Nova York: Delacorte Press, 1977). De acordo com a última

pesquisa sobre sexo de responsabilidade da Universidade de Chicago,

79% dos homens e 8C% das mulheses que responderam, disseram que

a última vez que fizeram amor durou cerca de aproximadamente quinze

minutos. E 20% dos homens e 15% das mulheres disseram que durou

mais do que uma hora a última vez que fizeram amor (Michael et al.,

Sex in Amerzca, pág.136, tabela). Isso não indica a verdadeira quanti-

dade de tempo que durou a penetração, mas esse resultado está, sem

dúvida, bem longe das desoladoras descobertas de Kinsey sobre a

brevidade das relações sexuais dos últimos 15 anos.

3.O estudo foi baseado nas informações colhidas de 805 enfermeiras

profissionais, das quais 42,7% eram multiorgasmáticas. A pesquisa foi

publicada no Psichology Today (Psicologia Atual) (vol. 25, na 4

[Julho-Agosto,1992]:14).

4.Uma companhia de suprimentos médicos desenvolveu um computador

para biorregeneração que emprega uma sonda, na fonna de um tampão,

que, ao ser inserida na vagina das mulheres, mede a força de suas

contrdções. Esse pequeno computador custa mais de mil dólares, mas

tudo o que você precisa é úm bardtíssimo ovo de pedra, igual àquele

que as mulheres taoístas vêm usando por milênios, para fostalecer a sua

vagina.

5.Há muito tempo que as tradições sexuais orientais reconheceram que

as mulheres podem ejacular. Nos últimos 20 anos, a ejaculação feminina

tem sido confirmada nos laboratórios (veja Ladas et al., The G Spot 10

Ponto G]), gravado em fita, engarrafado e testado. Embora sua origem

e função exatas não estejam muito claras, as análises químicas do fluido

ejaculatório feminino demonstram ser muito parecido com o do homem

(veja Capítulo 4).

6.Mead concluiu que sem a expectativa cultural do orgasmo, as mulheres Arapash, realmente, não sentiam qualquer orgasmo. Há outra explica- ção: talvez, as mulheres Arapash tenham sentido o que no Ocidente, em nossos laboratórios, chamariam de orgasmo, sem realmente chamá- lo de orgasmo. Este pode ser o caso de muitas mulheres ocidentais, como Lonnie Barbach afirmou.

7.ForEach Other(Um para o Outro), pág. 71 de Barbach.

CApÍTLTI.O SETE: Yang e Yang

1. Sex in History (O Sexo na História), pág. 179, de Tannahill.

2. The Tao of Sexology (A Sexologia de Tao), pág. 62, de Stephen T. Chang.

ICAPÍTULO OITO: Antes de chamar o bombeiro

1. The Secrets of the Jade Chamber(Os Segredos do Quarto de Jade) citado

no livro de Jolan Chang, The Tao of Love and Sex (O Amor e o Sexo de

Tao), pág. 79.

2.Smith’s General Urology(Urologia Geral Segundo Dr. Smith) de Tanagho

e McAninch (Collins et al., 11983; Legros, Mormont e Servais, 1978;

Montague et al.,1979; Spark, White e Connolly,1980), pág. 700.

3.Há tratamentos como aparelhos para compressão a vácuo, injeções

intravenosas de vasodilatadores e próteses de pênis, que permitem a

muitos homens com problemas sexuais orgânicos ainda terem ereções.

4.Não há nada de novo sobre os relatos que dizem respeito ao aumento

de pênis. No seu famoso romance chinês do século XVII, The Caiwial

Prayer Mat (A Oração da Came), Li Yu, descreve uma implantação

cirúrgica de um pênis de um cachorro no seu protagonista para que e1e

aumentasse o seu dote natural. Se esta história é fictícia, ou o autor

tinha muita imaginação, é bem possível que houvesse médicos chineses

que, igualmente a alguns cirurgiões plásticos de nossos tempos, fossem

motivados mais pelo dinheiro do que pela medicina. Também havia

homens, como os de agora, que desejavam se submeter a uma faca na

esperança de poder aumentar sua “virilidade”.

5.Os Btauer também mencionam um estudo controlado pela Inglatetra,

em 1975, que dizia dos aparentes e petmanentes aumentos no

comprimento e na largura do pênis depois que o homem fazia cenos

exercícios.

6.Uma pesquisa de Niels Skakkebaek e um “testemunho” durante um

congresso de Louis Guilette foram comenrados em um anigo do

Newsweek intitulado “A Composição do Estrogeno” (21 de março de

1994, pág. 76).

7.Smith’s General Urology(Urologia Geral Segundo Dr. Smith) de Tanagho

e McAninch, pág. 677.

CAPÍTUI.O NOVE: Fazendo amor por toda a vida

1. Sexua! Behavior in the Htcman Male (Comportamento Sexual do Ho-

mem, de Kinsey et al , pág. 226.

2.Winn e Newton,1982. Citado no livro de Katchadourian, Fundamentals

of Human Sexuality(Fundamentos da Sexualidade Humana), pág. 385.

3.Mais de 75% dos homens entre 61 e 71 anos faziam sexo pelo menos

uma vez por mês; também entre esses, 37% daqueles que tinham entre

61 e 65 anos e 28% dos que tinham entre 66 e 71 anos faziam sexo pelo

menos uma vez por semana. Nesse último grupo, só 10% dos homens

(e 5% das mulheres) disseram não ter desejos sexuais. Pesquisa feita

pelo Const<mer Reports com 4.246 homens e mulheres citada no livro

de Katchadourian, Ftcndamentals ofHuman Sexualit_y(Fundamentos da

Sexualidade Humana), pág. 385.

4.”Orgasmos Múltiplos Masculinos”, de Dunn e Trost, pág. 385.

5.Human SexualInadeqtcacy(O Sexo Humano Inadequado) de Masters

e Johnson. Boston: Little, Brown,1970.

6.Ann Landers conduziu uma pesquisa com 141.000 homens e mulheres

nas idades entre 17 e 93 anos. Ela descobriu que 82% das pessoas

entrevistadas achavam que o sexo após o casamento etn menos

ptazeroso. Citado no livro dos Btauer, The ESO Ecstasy Program, pág.4.

7.TTie New Male Sexuality de Zilbergeld, pág. 375.

8.Sexual Behavior in the Human Male, de Kinsey et al., pág. 579.

9.Time, 15 de fevereiro de 1993, pág. 39. Helen Fisher, a autora de

Anatomy oflove(Anatomia do Amor), fala a respeito da endorf na: “Esta

é a tazão pela qual tudo parece ser tão horrível, quando somos

abandonados ou quando a pessoa que amamos morre. Não temos nossa

quota diária de narcóticos.”

10. Chuck Nonis, The Secret of Inner Strength (Os Segredos da For a

Interior) (Charter,1989), págs.163-•4, citado no livro de Zilbergeld, The

New Mále Sexualáty, pág. 573. O livro de Bernie Zilbergeld tem uma

discussão espetacular sobre o que os homens p•em fazer pelos seus

filhos. Ele discute sobre o tema mais demoradamente do que podemos

tratar aqui e faz sugestões úteis tanto para os pais que estão tentando

superar os anos de constrangimento e ausência, quanto para os pais

divorciados.

11. Segundo Tao, a contração e a dilatação, a pulsação que chamamos de

orgasmo, porque acontece no universo todo o tem o. Isso se dá

orgasmo é sempre sentido como uma “grande” experiência que nos faz

senúr como se fôssemos um único ser no universo. A razão de nos

senúrmos “um ser único” é que realmente o somos.

APENDICE

Os Livros de Cura Tao e Instrutores

As práticas sexuais descritas neste livro são parte de um método

completo de desenvolvimento físico, emocional e espiritual chamado a Cura

Tao, que está baseada nos ensinamentos práticos da tradição taoísta. A lista

a seguir contém outros livros de Cura Tao que foram escritos por Mantak

Chia.

Livros de Cura Tao

Awaken Healing Energy Through the Tao

Awaken Healing Light of the Tao (com Maneewan Chia)

Bone Marrow Nei Kung: Iron Shirt Chi Kung I11 (com Maneewan Chia)

Chi Nei Tsang: Internal Organ Chi Massage (com Maneewan Chia)

Chi Self-Massage: The Taoút Way of Rejur•enation

Fusion of the Five Elements I (com Maneewan Chia)

Healing love Through the Tao: Cultivating Female Sexual Energy (com

Maneewan Chia)

The Inner Structure of Tai Chi: Tai Chi Kung I (com Juan Li)

Iron Shirt Chi Kung 1.· Internal Organs Exercise

Taoút Secrets of Lor•e: Cultivating Male Sexual Energy (com Michael Winn)

Taoist Ways to Transform Stress into Vi’tality

Para pedir os livros, fitas cassete, fitas de vídeo sobre Cura Tao escreva,

teleforte ou passe um fax para o Centro de Cura Tao:

1205, O’Neill Highway, Dunmore, PA 18512

(tel: 717-348-4310; fax: 717-348-4313)

Instrutores de Cura Tao

Existem mais de 3.000 instrutores de Cura Tao em todo o mundo que

dão aulas, fazem seminários com várias práticas, desde o Sexo Kung Fu até

o Tai-chi e chi-kung. Para maiores informações sobre os instrutores

palestras em sua cidade, entre em contato com o Centro de Cura Tao:

1205, O’Neill Highway, Dunmore, PA 18512

(tel: 717-3•-4310; fax: 717-348-4313)

ou

Centro Intemacional de Cura Tao:

274 Moo 7, Laung Nua, Doi Saket, Chiang Mai 50220, Tailândia

(tel: 66-53-495-596; fax: 66-53-495-852).

300

#

BIBLIOGRAFIA SELECIONADA

Anand Margo. The Art of Sex:cal Ecstasy: The Path of Sacred Sexuality for

Western Lovers. Los Angeles: Jeremy P. Tarcher, 1989.

Barbach Lonnie. For Each Other· Sharing Sexual Intimacy. New York:

Anchor Books,1983.

Belzer, E., B. Whipple e W. Moger. “On Female Ejaculation.” Journal of Sex

Research 20 (1984):403-406.

Brauer, Alan P. e Donna J. Brauer. ESO: The New Promise of Pleasure for

Couples in Love. New York: Warner Books, 1983.

. The ESO Ecstasy Program. New York: Wamer Books, 1990.

Chang, Jolan. The Tao of love and Sex: The Ancient Chinese Way to Ecstasy

New York: E. P. Dutton, 1977.

. The Tao of the Loving Couple: True Liberation Through the Tao.

New York:E. P. Dutton, 1983.

Chang, Stephen T. The Tao of Sexology: The Book of Infinite Wúdom. San

Francisco: Tao Publishing,1986.

Chu, Valentin. The Yin-Yang Butterfly· Ancient Chinese Sexual Secrets for

Western Lovers. Los Angeles: Jeremy P. Tarcher, 1993.

Dunn M., e J. Trost. “Male Multiple Orgasms: A Descriptive Study.” Archives

of Sexual Behavior 18, n. 5 (1989): 377-87.

Federation of Feminist Women’s Health Centers. A New View of a Woman’s

Body. West Hollywood, CA: Feminist Health Press,1991.

Gray John. Mars and Venus in the Bedroom. New York: HarperCollins

Publishers,1995.

Harurian William, e Marilyn Fithian. Any Man Can: The Multiple Orgasmic

Technigue for Every Loving Man. New York: St. Martin’s Press, 1984.

Hite, Shere. The Hite Report: A Nationwide St:uty of Female Sexuality. New

York: Macmillan, 1976.

The Institute for Advanced Study of Human Sexuality. The Complete Guide

to Safer Sex. Edited by Ted McIlvenna. Fort Lee, NJ: Barricade Books,

1992.

Katchadourian, Herant. Fundamentals of Human Sexuality 4th ed. New

York: Holt, Rinehart and Winston,1985.

Keesling, Barbara. How to Make love All Night and Drive a Woman Wild.

New York: HarperCollins Publishers,1994.

301

#Kinsey, Alfred C., Wardell B. Pomeroy, e Clyde E. Martin. Sexual Behavior

in the Human Male. Philadelphia: W. B. Saunders,1948.

Kinsey, Alfred C., Wardell B. Pomeroy, Clyde E. Martin e Paul H. Gebhard.

Sexual Behavior in the Human Female. Philadelphia, W. B. Saunders,

1953.

Ladas, Alice Kahn, Beverly Whipple, e John D. Perry. The G Spot and Other

Recent Discoveries About Human Sexuality. New York: Holt, Rinehart,

and Winston,1982. Dell Paperbacks,1983.

Masters, William H., Virginia E. Johnson, e Robert C. Kolodny. Masters and

Johnson on Sex and Human Loving. Boston: Little Brown and Compa-

ny,1986. (Revised edition of Human Sexuality (2d ed.,1985].)

Michael, Robert T., John H. Gagnon, Edward O. Laumann e Gina Kolata.

Sex in America. Boston: Little, Brown and Company,1994·

Reich, Wilhelm. The Function of the O•gasm. Traduzido por Vicent R.

Carfagno. New York: Farrar, Straus and Giroux,1973.

Reid, Darüel P. The Tao of Health, Sex, and Longevity. New York: Simon &

Schuster,1989.

Robbins, M. B., e G. D. Jensen. “Multiple Orgasms in Males.” Journal of Sex

Research 14 (1978): 21-26.

Schipper, Kristofer. The Taoist Body. Berkeley: University of Califomia Press,

1993.

Silverstein, Charles, e Felice Picano. The New Joy of Gay Sex. New York:

HarperCollins Publishers,1992.

Stoppard, Miriam. The Magic of Sex. New York: Dorling Kindersley,1991.

Tanagho, Emil A., e Jack W. McAninch, eds. Smith’s Genera! Urology, l3th

ed. Norwalk, CT: Appleton & Lange,1992.

Tannahill, Reay. Sex in History. Rev. ed. London: Cardinal,1989·

Wile, Douglas. Art of the Bedchamber: The Chinese Sexual Yoga Classics

Including Women’s Solo Meditation Texts. Albany: State University of

New York Press,1992.

Zilbergeld, Bemie. The NewMale Sexuality. New York: Bantam Books,1992.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: