Noticias do front!!!,-) #guerradevizinhosEPILOGO

…tudo ocorreu como sempre, eu saio cedinho, pra levar os cachorros pra passear.Logo após preparar o café para mim e minha mãe, que mora na casa da frente, enquanto eu ocupo uma ‘edícula’ atrás, normalmente faço isso na casa dela, pois não possuo cozinha, meus ex amigos sabem dos chiquérrimos chás feitos no ferro de passar, assim como ‘miojos’, ovos mexidos e até misto quente, modéstia parte sei fazer o melhor misto quente de ferro de passar do mundo, bife eu tentei mas não deu certo, já carne moída…enfim, experiências gastronômicas a parte, saio para passear com um dos meus cachorros, o último que adotei, que por ser de rua e ter morado muito tempo numa arvore aqui perto da minha casa, ele fica triste se não tiver a sua liberdade, as vezes eu acho que ele preferia voltar a morar na rua, a casa e os outros cachorros são demais pra ele, então eu o compenso com muitos passeios, normalmente de manhã cedinho, quando ele ainda não dormiu o sono do descanso, pois ele passa a noite em vigília, qualquer ruído ele começa a latir, a única casa da minha rua que nunca foi assaltada foi a minha, primeiro por ser a mais simples, e não ter muitos atrativos para que a cobiça alheia nos eleja como vítimas, e depois os cachorros desaconselham a aproximação, por isso entre cercas elétricas e cachorros, sem dúvidas: CACHORROS. Então ao chegar na esquina de casa já na volta do passeio, vejo o senhor meu vizinho, agente da ABIN, coisa que está parecendo mentira, pois antes o cara era o fodão da ABIN, depois virou funcionário da gráfica da ABIN e prestador de serviço na presidência da república, olha o tipo de gente que está acoloiado na presidência da república, vai vendo: eu percebo que o vizinho inimigo está a espreita, eu com o cachorro pela guia, ele normalmente é muito bravo mais com os vizinhos ele era mansinho, quando vizinho me vê, ele olha pra dentro e faz um leve sinal, eu entendi como “te prepara ele vem vindo…” – ele que era eu, vejo um quadro do terço bizantino do padre Marcelo Rossi, e instintivamente eu pego, tenho a mania de pegar coisas do lixo das portas das pessoas, quando estou andando com os cachorros, outro dia me vi numa “liquidação” numa casa que o dono tinha despejado o inquilino por falta de aluguel e colocou todas as coisas fora, eu e mais uns quatro catadores de lixo e/ou recicladores fizemos a festa no “espólio” do despejado, eles ficam felizes quando veem minha empolgação no meio deles, eles gostam de que os outros vejam que outras pessoas além deles se interessam  por ‘reciclagem’, ai me dão dica das ruas mais legais pra conseguir coisas bacanas, dá até pra conseguir uma grana sabia? Pois é, mas ao quase chegar a porta da minha casa, na calçada, o vizinho se lança em minha direção como uma encomenda, já no :”fala aquilo que …” obviamente queria, além do abuso de autoridade, queria violência também, eu já imaginando o que viria lancei o quadro do padre Marcelo que virou um “frisbee” abençoado que retardou o avanço do meu oponente que ganhou reforço com mais três pessoas saindo da casa dele, que fica ao lado da minha, quando olho a esposa dele está com uma faca nas mãos e vendo a rua quase deserta e eu só com o cachorro, eles vieram pra cima de mim como cães raivosos, de uma forma que meu cacho fugiu na hora ao ver a faca, ele nunca fica perto de quem está com faca, ele tem trauma, quando estou na cozinha a preparar algo delicioso que normalmente espalha cheiros de comida boa pelos ares da vizinhança, é só eu pegar as facas que ele sai da cozinha… enfim, depois do arremesso que atrasou a turba furiosa vejo minha mãe que felizmente não tinha saído ainda para trabalhar, sim, ela trabalha no ministério da educação, felizmente pois ao ver minha mãe eles retornaram inclusive a esposa assassina que até lembra aquele boneco sabia? Agora que me dei conta…pois sim, ao ver que tinha minha mãe já abrindo o portão da frente e literalmente me puxando pra dentro como com um anzol, ela me pescou, bem na hora que surge um anjo, um senhor que sempre capina o mato do quintal e poda as arvores na vizinhança e que me conhece das convenções de compras no lixo dos outros, então ao vê-lo, com todas aquelas tesouras e facões e enxadas e o escambau, eu me senti em joguinho de vídeo game quando você pode escolher as armas, mas quem resolveu mesmo a parada foi a aparição da minha mãe, eles ficaram surpresos por ve-la ali naquele horário e até tentaram esconder a faca mas era tarde demais, ela também vira… que tipo de gente age assim? Que medo, ai foi só eu entrar pelo meu portão que o festival de baixarias começou, advinhem que foi a primeira a chegar? Ainda querendo botar moral, perguntando por que eu não resolvia a questão sem barraco, gente, meu telhado que foi danificado, eu que quase fui eletrocutado, eu que quase fui esfaqueado na porta de casa…será que eu tenho que agradecer esse tratamento do novo vizinho para comigo? Só porque ele é ‘proprietário’ e eu ‘inquilino’? parece que sim, pois o que se segui foi bate boca no nível mais impublicável até mesmo por mim, acreditem, vocês não gostariam de ter visto a cena deplorável, com o auxilio luxuoso de duas viaturas da pm, com mais quatro policiais me dizendo que se voltassem ali eu iria “ver”…se é que vocês me entendem… que tipo de pais é esse onde alguém como eu resolve denunciar abusos de toda a sorte por realmente me importar com essas vítimas…e… me torno mais uma vítima, sofro as mesmas ameaças que denunciei, isso só pra fazer os ‘insurgentes’ entenderem quem é que manda…o final da história é mais lastimável ainda, alguém soube que o casal da ABIN, é na verdade um estelionatário que vive de comprar casas na periferia, reforma-las, e depois vende-las, ele sempre sofre um assalto que levam um de seus caros carros e o seguro paga outro, aí dizem que ele também negocia carros ‘semi-novos’, dizem que mora um ano e um pouquinho em cada lugar, e sempre que ele sofre o assalto de madrugada, ele logo após, se indispõe com alguém da nova vizinhança, pela mesma razão que eu e sempre com alguém aparentemente indefeso… no meu caso se F*deu, a razão da indisposição com o vizinho escolhido abole completamente o questionamento do assalto, pelos vizinhos que asseguram a seguradora que realmente aconteceu, com os contatos de policiais corruptos como os que apareceram pra me insultar sendo eu a vítima, que com certeza estão no esquema de certificação do roubo para a liberação do seguro…ou seja…se você quer ter emoções, muitas emoções bicho, vá morar no subúrbio, finja que é algum professor universitário pobretão e divirta-se com os ‘causos’ que podem aparecer só tome cuidado pra não ser o próprio causo, como eu quase me transformei hoje cedo… de certo ficou a decisão mudar urgente daqui, não mais sair a pé de casa, só de carro, pelo menos até a mudança que deve demorar ainda uns dias, ficou a tranquilidade de não ter o meu próximo lar ‘grampeado’ pela ABIN, e seus funcionários fantasmas…mas…pelo sim e pelo não uma varredura só pro precaução vale a pena…por que…”tudo vale a pena quando a alma não é pequena …”!!!,-) #menosmorrerELETROCUTADOnaperifa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: