“Precisamos falar sobre o Kevin” de Lionel Shriver !!!,-) #vcvaigostarBB

 

Em “Precisamos Falar Sobre o Kevin” – o autor Lionel Shriver realiza uma espécie de genealogia do assassínio ao criar na ficção uma chacina similar a tantas provocadas por jovens em escolas americanas. Aos 15 anos, o personagem Kevin mata 11 pessoas, entre colegas no colégio e familiares. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos.

kevin

Passamos a vida tentando passar o melhor de nós e recolhendo o que no mundo há de bom sem nos preocuparmos com o sentido da vida ou em fazer a diferença. Será mesmo?

Passar dia após dia, indo e voltando do trabalho, almoçando e jantando nos horários certos, resolvendo problemas cotidianos, viajando para algum lugar qualquer nas férias, cuidando dos filhos… Para que? Tudo uma farsa, um jogo de tempo, de esconde-esconde. Não aceitamos que não sabemos nada: para que serve a vida, o que vai acontecer após dela, o que estamos fazendo aqui. Não sabemos, temos fé em suposições e hipóteses, apenas. E essa história toda de estudos, trabalho e vida particular só serve para silenciar nossas dúvidas – quem conseguiria viver se perguntando a todo momento que sentido tem isso?

Terminei o Precisamos falar sobre Kevin da Lionel Shriver e quase chorei. Um final fantástico. Não chorei de tristeza, mas de raiva. Uma raiva descomunal de saber que a cada dia que passa continuamos a saber nada, a não ter idéia do que está acontecendo. Inventamos o certo e o errado, o bonito e o feio, o legal e o chato – caríssimos, BASEADOS EM QUÊ?

Alguns, para entender a vida, buscaram a morte. Outros resolveram vivê-la inteirinha assim como está no script: estudar, trabalhar, casar, ter filhos. Outros ainda passaram absorvidos em pesquisas, pensamentos, conclusões, teorias, viajens, atrás de respostas. E há os que não aguentaram e se afogaram em bebidas, drogas e essas coisas humanas – acredite, não precisamos de muito para isso.

Acredito que só há um mistério que nos faz esquecermos disso tudo, nos faz não precisar de sentido, de direção, de missão alguma. Aquele clichê delicioso, sentimentozinho brega e cada vez mais raro: o amor. Desde quando necessita-se de explicação quando se ama? Kevin, o “assunto” do livro, tira isso de sua mãe e esmigalha o que ela entendia por sentido da vida, por esperança, por vontade de viver, whatever…

Por isso, caros, temos duas escolhas: conquiste amores na vida. Não os perca e nem deixem que tirem de vocês. O amor próprio é importante sim, mas não serve para passar a vida inteira sozinho com você. Ou então siga o script, drogue-se, procure explicações no escuro… afinal ainda não sabemos: queremos realmente um sentido pra viver?

…para quem ainda não leu o livro tem também um ótimo filme com a maravilhosa Tilda Swinton no papel da atormentada mãe de Kevin, se quiser ver o filme click nesse link:https://www.youtube.com/watch?v=JWSmniSvsQo e muito bom filme!!!,-)

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: